Aurilândia-GO

Firminópolis vence o Aurilândia
por 4 a 3 e leva a decisão
para disputar em casa

A equipe do Firminópolis com garra supera dificuldades e vence bonito o forte time do Aurilândia dentro do seu próprio campo.

Em partida realizada no último sábado, 9 de junho, às 16h30, no Estádio Municipal Francisco Rodrigues de Aurilândia, a equipe do Aurilândia Esporte Clube recebeu o Firminópolis Esporte Clube, para um confronto válido pela final do Amadorão 2018. Este jogo foi o primeiro de duas partidas estabelecidas no regulamento da competição organizada pela Federação Amadora Centro-Oeste (FACO).

O primeiro tempo foi bastante equilibrado e competitivo. As duas equipes brigando pela vitória impuseram um ritmo de jogo ofensivo e muito disputado. O toma lá dá cá foi a tônica da disputa, para alegria do torcedor que teve a oportunidade de presenciar belas jogadas e assistir a bola balançar a rede 6 vezes. E as duas equipes terminaram a etapa inicial empatadas em 3 a 3.

Aurilândia abriu o marcador com o gol de Alan depois do goleiro Wanderson ter falhado feio. Minutos depois Dioninho empata para o Firminópolis, fazendo o gol mais bonito da partida, com um chute certeiro alto de longa distância no canto direito do goleiro adversário. Não demorou Baianinho no rebote, após outra falha imperdoável do goleiro Wanderson que não conseguiu segurar um chute de meia distância, a bola bateu no seu peito e sobrou livre para o atacante aurilandense marcar. Aurilândia 2 a 1.

Como os dois times estavam jogando aberto, as oportunidades de gols ficaram mais claras dificultando o sistema defensivo das duas equipes. O Aurilândia percebendo a má fase do goleiro Wanderson e a desorganização da zaga firminopolina, arriscava os chutes de meia distância e impedia as saídas de bola levando perigo para o time visitante.

Enquanto isto, o Firminópolis trabalhando melhor as jogadas, avançou contra a defesa aurilandense, num cruzamento da esquerda, encontrou Paraíba na entrada da pequena área, que mal teve tempo de dominar e chutar no canto direito do goleiro aurilandense e empatar a partida em 2 a 2.

Aproximando-se do final da primeira etapa, Baianinho invade a área do Firminópolis e faz o terceiro gol da sua equipe e o seu segundo na partida. Poucos minutos depois, Wellington Cabeça, depois de receber a bola na entrada da pequana área, viu o goleiro mal posicionado e enfiou pra dentro da rede empatando novamente a partida em 3 a 3.

No segundo tempo, o treinador Jonatas Felipe (Esfirra) do Firminópolis, conversou com os seus atletas, elevou suas autoestimas e pediu empenho, determinação e vontade de vender. Com o esquema tático completamente modificado, o Firminópolis entrou em campo com o seu sistema defensivo mais organizado; o meio de campo melhorou a distribuição de bola e explorou os contra-ataques. Foi num desses contra-ataques que o time visitante conseguiu superar a defesa aurilandense e fazer o seu quarto gol.

O atacante Rodriguinho que havia substituído João Vitor – responsável pelos três gols que consagrou a vitória do seu time contra o Cachoeira pelas semifinais –, recebeu a bola na direita do campo, avançou em direção da linha de fundo, esperando a oportunidade de efetuar o cruzamento.

Como estava bem marcado, arriscou uma jogada individual livrando-se com habilidade o seu marcador. Ao perceber que Dioninho aproximava livre da grande área, tocou rápido rasteiro. Dioninho no embalo de prima bateu forte rasteiro e enfiou a bola no canto direito do goleiro adversário, o qual mesmo se esforçando não conseguiu evitar o quarto gol decisivo da equipe firminopolina.


Esquipe do Aurilândia Esporte Clube, finalista do Amadorão 2018.

O treinador do Aurilândia Esporte Clube, Carlos Alberto, antes do jogo fez um breve retrospecto da atuação do seu time no Amadorão 2018. Segundo ele, o seu time entrou na competição como uma equipe desacreditada. No entanto, conseguiu superar as previsões e, agora, estava decidindo o campeonato contra uma grande equipe. “Eu tenho certeza, aquele que praticar o futebol da maneira mais limpa possível, levará o caneco”, adverte.

De acordo com sua avaliação, até chegar à final não foi fácil. Dificuldades tiveram que serem superadas e a vontade de mostrar o que são capazes, determinou o crescimento da equipe. “Nós tivemos no início algumas dificuldades, porque logo de cara enfrentamos as equipes consideradas favoritas, mas fomos muito bem, dentro do nosso prognóstico. No final enfrentamos as equipes mais fracas pontuamos bem, conseguimos 23 pontos e classificamos em terceiro lugar. É imensa a nossa felicidade de estarmos disputando a final”, avalia.

eu confio na equipe e ela joga muito melhor fora do que dentro do nosso campo        - Técnico Carlos Alberto

“Para o jogo de hoje, conhecendo o Esfirra, o Firminópolis jogará fechado confiante nos contra-ataques com o João Vitor, que é um jogador muito rápido. Já conversei com o pessoal sobre essa possibilidade. Temos certeza de que será um jogo muito difícil, mas estamos confiantes, porque a nossa equipe é brilhosa e sabe o que quer”, prevê.No final do jogo, Carlos Alberto, desapontado com a derrota, reconheceu suas limitações dizendo que foi um grande jogo. “Nós pecamos no sistema defensivo, o ataque fazia gol e levava outro devido a falhas na zaga. Parabéns para equipe do Firminópolis que jogou postada com grande qualidade e mereceu a vitória”, lamenta. 

Ainda, segundo o treinador, no primeiro tempo o seu time arriscou mais os chutes de meia distância e os resultados aconteceram. No segundo tempo, o goleiro do Firminópolis conseguiu recuperar sua boa forma e realizou boas defesas. “Agora temos que trabalhar pra tentar reverter o resultado em Firminópolis e procurar ser campeão diante de uma grande equipe que é o time do professor Esfirra”, acredita.

“O nosso time perdeu por detalhes. Como eu disse antes, o nosso sistema defensivo que não estava confiante, mas eu confio na equipe e ela joga muito melhor fora do que dentro do nosso campo”, adverte.

Para o treinador Jonatas Felipe (Esfirra), ao longo do campeonato ele colocou na mente dos seus jogadores, que o importante é vencer nem que for de 1 a 0, mas vencer bem, com um gol bem feito, foi isto que fizeram. Segundo ele, os jogos que disputaram, não ganharam de goleada, mas foi o time que mais venceu durante a competição.

Só que, agora, que a decisão será em dois jogos mata a mata, ele tem outro pensamento. Não poderá jogar aberto e partir pra cima, mas pretende realizar um bom jogo na expectativa de que dê certo.

“Estamos esperando o Aurilândia com um estilo de jogo diferente do jogado na semifinal contra o Messianópolis. Procuramos estudar alguns pontos fracos deles, e o esquema tático vai sendo montado durante o jogo dentro de campo”, diz.

Estamos esperando o Aurilândia com um estilo de jogo diferente do jogado na semifinal contra o Messianópolis        - Técnico Jonatas Felipe 

Na opinião do treinador Esfirra no primeiro tempo, o seu time falhou muito no jogo. O sistema defensivo da sua equipe não estava no seu melhor dia. “Isto acontece, tem dia que realmente não é o dia. A equipe bateu cabeça lá atrás, mas na frente esteve bem, aproveitou as oportunidades. Fizemos três golaços com a bola no chão, bem trabalhada. O que eu quero do nosso time é isto”, pondera.

Quando questionado sobre o time do Aurilândia ter percebido que a zaga do Firminópolis não estava bem e o goleiro inseguro, Esfirra cauteloso disse: “É até um pouco irônico, mas era isto que eu queria que acontecesse. Eu sei da qualidade do nosso goleiro. Falhou, mas era isto que eu queria, que eles chutassem todas. Infelizmente ele não estava num bom momento, mas esta zaga jogou contra os melhores ataques do campeonato e não tomou nenhum gol, ressalta. 

Goleiro do Firminópolis Wanderson Tigrão. “A gente quando para de jogar no profissional, o ritmo muda totalmente. No profissional é diferente, você treina e vive somente para o futebol. Hoje eu tenho outras atividades e muitas vezes não tenho aquele descanso necessário para poder entrar para um jogo como este e estar na melhor forma. Ajudar a equipe realizar o futebol que geralmente todos estão acostumados a ver.

De acordo com Wanderson, o seu dia a dia na sua propriedade rural é de muito trabalho. No final do dia, a perna está cansada, o corpo está cansado, dorme tarde e levanta muito cedo pra cuidar do gado. “Agora na seca, eu mexo com gado leiteiro, praticamente são 24 horas dentro de um curral, enfrentamos uma correria diária, mexer com silagem, trator, cuidar dos animais. Enfim, atividades própria da roça, então tudo isto acabou afetando neste momento decisivo. Mas o nosso time tem bons jogadores, eu confio na equipe que sempre tem me apoiado, me ajudado”, esclarece.

O jogo de volta será no próximo sábado, 16, às 15h45 em Firminópolis. O time da casa conta com a vantagem da vitória no primeiro jogo, e ao Aurilândia só resta vencer e vencer bem.


Equipe do Firminópolis Esporte Clube, finalista do Amadorão 2018.


jogador Alan, autor do primeiro gol do Aurilândia.


Zagueiro Dioninho, autor do primeiro e o quarto gol do Firminópolis.


Meio campista Baianinho, autor do segundo e o terceiro gol do Aurilândia.


Atacante Paraíba, autor do segundo gol do Firminópolis.


Atacante Willington Cabeça, autor do terceiro gol do Firminópolis.


Equipe de arbitrágem da FGF.


Sgtº PM Salvador e o seu colega de farda, responsáveis pela segurança do estádio.

Enviar Comentário

Deseja enviar um comentário para esta notícia.
Efetue login ou cadastre-se abaixo.

Não tem um login? CADASTRE-SE

Recuperar Senha

Informe o e-mail cadastrado para que possamos estar enviando suas informações de login.

Cadastre-se

Faça seu cadastro no galeraesportiva.com.br

Já tem um login? EFETUAR LOGIN


Mais Esportes >

Leia Também

PUBLICIDADE