São Luís de Montes Belos
virgula Nos Jogos Paraolímpicos do Rio de Janeiro 2016, conquistamos a medalha de bronze e consagramos como a seleção que mais evoluiu no mundo nesse ciclo. Técnico José Guedes virgula



A equipe feminina da Associação dos Deficientes Físicos de Aparecida de Goiânia (ADAP), base da Seleção Brasileira de Voleibol Sentado, esteve em São Luís de Montes Belos, no final da última semana de agosto, a convite do professor William Eduardo da Faculdade Montes Belos (FMB), para participar do II Encontro de Educação Física promovido pela instituição.

Na sexta-feira, 1º de setembro, durante a realização da final da Copa Du Passo de Futsal, com o Ginásio de Esportes totalmente lotado, a ADAP enfrentou num jogo de demonstração, a equipe local, formada por cinco jogadoras do time feminino oficial de Vôlei de São Luís e algumas alunas do curso de Educação Física, para que as atletas normais, sem qualquer deficiência física, avaliassem o grau de dificuldade que o voleibol sentado exige.  

O técnico da Seleção Brasileira Paralímpica e também da ADAP, José Guedes, esclareceu os motivos da sua presença em São Luís e, da oportunidade de estar apresentando através de um jogo demonstrativo sua equipe. “Para nós que trabalhamos com esporte, é muito importante que as pessoas tenham acesso ao conhecimento, presenciem de perto o que é realmente a modalidade voleibol sentado. Porque grande parte da população no país, fica muito distante desta realidade, acompanhada geralmente, somente pela tevê ou através das matérias noticiadas pela imprensa”, esclarece.

José Guedes disse ainda, que as atletas que praticam a modalidade, se sentem importantes apresentando suas habilidades. E, o fato da grande concentração de pessoas tanto locais como de outras localidades presentes para assistirem a final do campeonato, também é uma oportunidade de aproximação com o esporte paraolímpico e testemunhar in loco como se pratica o voleibol sentado. Sobre a presença da equipe em São Luís, o treinador disse que tiveram uma excelente receptividade e já estão agendando outra data para retornar à cidade.

De acordo com José Guedes, quando assumiu a Seleção Brasileira Feminina Paralímpica de Voleibol Sentado, no início de 2013 – lembrando que a Seleção tem apenas 11 anos de atividade no Brasil – para disputar o ciclo dos jogos do Rio, a modalidade ainda não havia obtido grandes resultados no cenário internacional – ocupava uma modesta posição no ranking da federação. Em quatro anos, ele conseguiu mudar a perspectiva da Seleção, a nível internacional e os resultados começaram a aparecer.

“Fomos vice-campeões Pan-Americano em 2015, terceiro colocado na International Cup em 2016, que é uma competição que reúne as melhores seleções do mundo. Nos Jogos Paraolímpicos do Rio de Janeiro, também em 2016, conquistamos a medalha de bronze e consagramos como a seleção que mais evoluiu no mundo nesse ciclo. Agora em 2017, já temos alguns compromissos com a seleção no Campeonato Pré-Mundial que se realizará na cidade de Montreal no Canadá e ano que vem o Mundial na Holanda”, enfatiza o treinador José Guedes.       

Jane Freitas Batista, atleta da ADAP e uma das quatro jogadoras que retorçam o elenco da Seleção Brasileira, ao lado de Ádrea de Jesus, Pâmela Pereira e Núria da Silva, disse que ter participado da Olimpíada de 2016, foi bacana, mas não alcançou o público em geral. Muitas pessoas ainda não conhecem a modalidade. “Estar aqui é muito bom, ainda mais, numa competição assim, grande em que toda a cidade está presente, está sendo bem bacana”, ressalta Jane.

“Participamos da última Paralimpíada 2016, que aconteceu no Rio de Janeiro e conseguimos a nossa primeira medalha, e de bronze. A medalha de ouro ficou com o Estados Unidos e a de prata para a China. No ranking a China sempre foi campeã e o EUA vice-campeã. Enquanto nós ocupávamos a quinta posição no mundo, agora subir para o terceiro lugar, é muito bom. É o resultado de muito trabalho e conseguimos alcançar o nosso objetivo, que era conquistar uma medalha paralímpica”, destacou Jane Freitas.


Técnico José Guedes ao lado da atleta Jane Freitas.


Técnico José Guedes, Jane Freitas e o professor William Eduardo.


Equipe da Seleção Brasileira Feminina Paralímpica nos Jogos Paraolímpicos do Rio de Janeiro 2016.


Atletas comemoram a vitória e o título nos Jogos Paraolímpicos do Rio de Janeiro 2016.

 

Fotos: Galera Esportiva e Internet


Mais Esportes >

Leia Também

PUBLICIDADE