Anicuns-GO

Sonhar é preciso,
acreditar muito mais

Fundado em 3 de julho de 1996, pelos mestres Marco Aurélio (Carioca) e Rudy Mário (Cobra Mansa), o Grupo de Capoeira Palmares de Anicuns, já revelou vários campeões estaduais e nacionais de nível mundial.

Como toda inciativa pioneira numa localidade onde poucas pessoas conheciam a arte da capoeira. Ainda assim, através das reportagens transmitidas pela televisão, não foi fácil implantar e fazer florescer a prática da capoeira em Anicuns, cidade do interior de Goiás. Principalmente, em se tratando de uma modalidade esportiva pouco difundida, onde o futebol e o futsal predominavam, seguidos do basquete e do vôlei.

Outro fator que os idealizadores do Grupo Palmares também tiveram que enfrentar e contribuiu sobremaneira para que a sua implantação fosse um desafio pouco sustentável, esteve relacionado à questão financeira.

Manter uma estrutura satisfatória para desenvolver o projeto gerava custos e, a grande maioria dos interessados não tinham condições de pagar pelas aulas, os quais para não ficarem fora do projeto, contaram com a compreensão dos seus fundadores.

Somente em 2008, durante a administração do então prefeito Manoel Vicente Vieira (Manezinho), com a implantação do Projeto Capoeira nos Bairros, tornou-se acessível à comunidade anicuense. Sob o comando do professor/contramestre Fábio Alves de Oliveira (Estrela), a capoeira em Anicuns começou a conquistar adeptos e sua arte a ganhar robustez como modalidade esportiva na região.

E assim nasceu uma líder

Na época, Baianinha com 14 anos de idade, aproveitando a oportunidade a seu favor, não perdeu tempo e começou a praticar a arte, influenciada por uma amiga. “Na minha infância conheci a capoeira através da amiga Claudia Lorrana da Silva, me apaixonei à primeira vista. Porém, não podia entrar na aula por não ter condições financeira. Mas, mesmo assim, não deixava de assistir as aulas como plateia”, conta.


Professora Maria Isabel (Baianinha), iniciou na capoeira com 14 anos, atualmente com 25 anos, 11 dedicados à capoeira.

Sob a orientação do professor/contramestre Estrela, mesmo sem ter recebido qualquer orientação de um mestre, Baianinha assim que começou a praticar a capoeira, surpreendeu com suas habilidades. Determinada a ser uma atleta na arte e melhorar por mérito o seu nível através do seu empenho, assistindo a amiga treinar, conseguiu assimilar alguns movimentos, os quais exercitava em casa adquirindo flexibilidade e condicionamento físico.

Com o seu desempenho em constante progresso, e sua fé inabalável de que tinha potencial para crescer ainda mais, logo caiu na graça do mestre Cobra Mansa, fundador do Grupo Palmares, que a convidou para treinar com os seus alunos.

Em 2009, um ano depois de começar a praticar o esporte, também começou a participar de competições. Com performance arrojada e muita determinação, conquistou o seu primeiro título de campeã goiana e vários outros que se sucederam.  

Foi uma conquista muito grande. Eu não me imaginava chegar tão longe. Mas não foi nada fácil.   - Baianinha.

Sua paixão pela arte foi tão forte que em 2013, ou seja, cinco anos após sua iniciação, se graduou como professora e, se tornou a primeira mulher a ocupar tal função no Grupo Palmares. “Foi uma conquista muito grande. Eu não me imaginava chegar tão longe. Mas não foi nada fácil”, ressalta.

Por ser mulher e por estar à frente de um grupo com tantos outros mais graduados, Baianinha enfrentou várias situações desagradáveis, como preconceito, pressões psicológicas e ingratidão.  Chegou inclusive, a ter vontade de desistir do seu sonho de se tornar uma atleta vitoriosa de alto nível.

“Eu desisti por um tempo. Depois de avaliar a minha decisão, cheguei à conclusão de que não valia a pena abandonar um sonho por causa de algumas pessoas. Voltei a batalha e aqui estou com alunos campeões brasileiros, campeões goianos e, até uma campeã mundial. Sou respeitada por muitos, criticada por alguns, mas desistir não mais”, exalta consciente de que fez e está fazendo melhor pela arte da capoeira.

Campeã goiana por nove vezes consecutivas de 2009 a 2018. Três vezes campeã brasileira, dentre outras conquistas como Jogos Abertos e Copa Cidade, em 2019, com 25 anos, 11 dedicados à capoeira, Baianinha foi vice-campeã goiana na categoria até 55 quilos. E, ainda, teve a grata satisfação de ser agraciada com dois seus alunos sendo selecionados para o mundial de 2020.

Não bastasse, com os resultados obtidos e ter atingido o índice do ranking, também foi beneficiada com o Bolsa Atleta do Programa de Apoio ao Atleta de Rendimento do Governo Federal. “Graças ao Senhor Deus, ao meu mestre, aos meus alunos e por não ter desistido do meu sonho. Depois dos turbulentos momentos iniciais, hoje sou bastante querida. Onde eu chego sou muito feliz por ter a capoeira na minha vida”, reconhece. 


Atleta Maria Isabel (Baianinha) do Grupo Palmares, 2º lugar no pódio do Campeonato Goiano de Capoeira 2019, categoria 25 anos. 


Atleta Karine Cardoso, do Grupo Palmares, 1º lugar no pódio do Campeonato Goiano de Capoeira 2019, categoria 18 anos.


Atleta Ian Ribeiro, do Grupo Palmares, 1º lugar no pódio no Campeonato Goiano de Capoeira 2019, categoria 15 anos. 


Atleta Karine Cardoso dos Anjos, do Grupo Palmares, campeã mundial de capoeira em 2018, categoria cadete em Baku Azerbaijão.


Mestre Rudy Mário (Cobra Mansa), fundador do Grupo Palmares em 1996.


Mestre Marco Aurélio (Carioca), fundador do Grupo Palmares em 1996.


Contramestre Fabio Alves de Oliveira (Estrela), primeiro professor/treinador da atleta Baianinha.

 

Por, Galera Esportiva
Fotos: Arquivo pessoal da atleta Maria Isabel (Baianinha)

Enviar Comentário

Deseja enviar um comentário para esta notícia.
Efetue login ou cadastre-se abaixo.

Não tem um login? CADASTRE-SE

Recuperar Senha

Informe o e-mail cadastrado para que possamos estar enviando suas informações de login.

Cadastre-se

Faça seu cadastro no galeraesportiva.com.br

Já tem um login? EFETUAR LOGIN


Mais Esportes >

Leia Também

PUBLICIDADE